Atividades Regulares

 Domingo

8h – Reunião de Oração

9h – E. B. D (Escola Bíblica Dominical)

10h30 – Culto Matinal

19h – Culto Noturno

 Terça-feira

19h30 – Culto de Oração

 Quinta-feira

19h30 – Estudos Bíblicos

 Sábados ímpares

19h30 – Culto da Juventude

 Sábados pares

20h – Encontro dos casais

Login

Quem está Online

Temos 5 visitantes e Nenhum membro online

Construindo um Lastro Espiritual

 

 

“Construindo um Lastro Espiritual”

 

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que vosso trabalho não é vão no Senhor.” (I Cor 15.58)

 

INTRODUÇÃO:

 

     O termo Lastro representa o material usado como peso para a estabilidade de um objeto. Deve ser sempre pesado, consistente para manter ou melhorar o equilíbrio para o qual foi destinado. O setor naval utiliza um sistema de tanques de lastro, os quais são preenchidos com água para manter a estabilidade do navio durante sua travessia até o próximo porto.

     Eu, e o amado (a) irmão (ã) estamos começando um novo ano. Estamos, desde a nossa conversão, fazendo uma travessia até o nosso próximo porto, o nosso destino, o céu. Permanentemente, em cada gesto, em cada palavra, em cada ação, em cada contribuição, em cada participação no culto ao Senhor, estamos construindo nosso Lastro Espiritual. Estamos preenchendo os lugares vazios da nossa vida para manter a estabilidade necessária para vencermos as ondas e tempestades nessa travessia. O apóstolo Paulo, nos sugere algumas ações para ampliar nosso Lastro Espiritual.

 

“Construindo um Lastro Espiritual”

 

I – Firmeza nas doutrinas

“... Sede firmes...”

      A igreja em Coríntios estava tendo posições que não estavam de acordo com a doutrina dos apóstolos recebidas do Senhor Jesus. Eles abraçavam tudo que chegava até eles.

     Algumas situações em Coríntios, combatidas por Paulo:

a) Contendas entre irmãos, quando disputavam a liderança: “eu sou de Apolo, outros, eu sou de Cefas, eu sou de Paulo, outros ainda, eu sou de Cristo” (I Cor. 1.12,13). Dividiam o próprio Cristo.

b) A insensatez em servir à sabedoria humana.

. Todo o tipo de culto

“Por que está escrito: destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes.” (I Cor. 1.19)

“Pois a palavra da cruz é loucura para os que perecem, mas para nós que somos salvos, é o poder de Deus.” (I Cor. 1.18)

 

     A sabedoria humana sempre conduz na direção do homem. Exalta o homem, ensoberbece o homem, glorifica o homem. O crente em Jesus Cristo deve viver e exaltar o nome de Cristo: “Vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual nos foi feito por Deus sabedoria, justiça, santificação e redenção; para que, como está escrito: aquele que se glorie, glorie-se no Senhor.” (I Cor. 1.30,31).

c) Carnalidade

As contendas, a sabedoria humana gerava a carnalidade

     “Irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo (I Cor. 3.1).

d) Imoralidade

A igreja em Coríntios estava inchada em si mesma, orgulhava-se do que estavam vivendo. Por isso, estavam desmoronando moralmente “Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade e de um tipo que é condenado até mesmo entre os gentios, como o ato de alguém abusar da mulher de seu pai.” (I Cor. 5.1).

e) Contestação da Ressurreição de Cristo

Este capítulo, o 15, é totalmente dedicado a trazer a doutrina da ressurreição. Paulo recorda tudo o que ele ensinou, e fala da contundente verdade da ressurreição.

     “E, se Cristo não ressuscitou, a vossa fé é vã e ainda permaneceis em vossos pecados. E mais ainda: os que dormiram em Cristo estão perdidos. Se esperamos em Cristo só para esta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. Mas, na verdade, Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.”

(I Cor. 15.17-20).

     Concluindo, Paulo exorta “... sede firmes...”

Josué, recebe uma grande obra para continuar, no lugar de Moisés, conduzindo o Israel em direção da Terra Prometida. A palavra que vem de Deus para o seu coração é: “Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais. Tão somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda Lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvie, nem para direita nem para esquerda, para que sejas bem sucedido por onde quer que andares.”

(Josué 1.6-7).

“Sede firmes”

ILUSTRAÇÃO:

Local da troca do lastro dos navios deve ser feita há 200 milhas tendo pelo menos 200 metros de profundidade. Esse fator de segurança indica a salinidade ideal e verdadeira que é 3%. Quando for menor, indica que foi feita camufladamente em águas do estuário, local onde a salinidade é bem menor. Com isso foi contaminado o estuário com água que foi trazida de lugares distantes, e impróprias para aquele lugar.

     . Sede firmes, não tragam doutrinas estranhas para sua igreja, mantenha a salinidade da sã doutrina, mantenha e defenda a doutrina dos apóstolos, e, também, divulgue e viva.

 

“A Construção do Lastro Espiritual”

 

II – A fé sempre unida à Cruz de Cristo

     . Vivemos em um tempo cheio de atrações. As oportunidades para servirmos, sem ser a cruz, são inúmeras. É necessário Construir o Lastro da fé. “Sem fé é impossível agradar a Deus.” (Hb. 11.6). A fé na cruz de Cristo, colocada na cruz de Cristo, produz o combustível básico que fará a vida do servo de Deus ser vitoriosa. Alguém sem fé não consegue ser constante, inabalável no caminho em direção da cruz. Sem fé não conseguimos avançar, não conseguimos lutar a carreira que nos está proposta. Sem fé nós fraquejamos, sem fé deixamos a constância, deixamos a casa de Deus por qualquer convite ou programa, sem fé nós ruímos. Quer viver um ano abençoado? Precisa cultivar a fé.

ILUSTRAÇÃO:

No Paraná há uma associação de proteção ao ecossistema. Eles monitoram os navios que chegam na Baia de Paranaguá. Eles avaliam a salinidade e procedência da água de lastro da embarcação. A medida tem como objetivo evitar a contaminação do ecossistema marinho natural com espécies exóticas, que são trazidas por embarcações estranhas vindas de outros países de outros ecossistemas.

     Quando não somos constantes na casa do Senhor, quando a nossa fé não está somente na Cruz de Cristo, acabamos sendo contaminados por doutrinas exóticas, que não foram examinadas, e acabam contaminando nossa fé, nossa convicção doutrinária, sendo levado por todo o vento de doutrinas. A televisão, as igrejas alternativas, os sites disponíveis, são instrumentos que podem produzir decisões exóticas na nossa fé. O antídoto é manter a fé sempre unida à Cruz de Cristo.

 

“A Construção do Lastro Espiritual”

 

III – Deve ser sem economia

“... Sempre abundante na obra do Senhor...”

     Quero citar um fato simples de ser constatado. É quando, sem justificativa, deixo de prestar culto ao Senhor. O meu lugar fica vazio. A minha presença fortalece aos outros irmãos. Promove o desenvolvimento da igreja, promove o desejo de participar.

“Alguns dias depois, Jesus entrou outra vez em Cafarnaum e ouviu-se dizer que estava em casa. Logo se juntaram tantos que nem ainda nos lugares junto a porta cabiam; e anunciava-lhes a Palavra.”

(Mc. 2.1-2).

     Um fator de oposição à vida abundante é a acomodação. Um autor afirma: “O acomodado é aquele que não abre mão de seu conforto, não quer sair da rotina, não deseja de modo algum mudar qualquer aspecto por menor que seja na sua vida. A acomodação enraíza tanto na vida das pessoas que as transformam em preguiçosas.”. Provérbios 21.25 ensina sobre isso: “O preguiçoso morre desejando porque as suas mãos recusam trabalhar.”

     Muitos projetos estão parados na vida da igreja, e das pessoas também, porque apenas desejam. Desejar não é o suficiente, é preciso colocar as mãos na massa e vencer esse grande obstáculo.

     Lembro que Paulo estava escrevendo para uma igreja, para homens e mulheres que tinham seus compromissos diários. Mas, a igreja necessitava do trabalho abundante deles. Deviam avançar nessa direção. Deviam arregaçar as mangas. Economizar no serviço a Deus é falta de sabedoria: “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça e ferrugem não corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração (Mt. 6.19-21).

     A construção do Lastro Espiritual passa por priorizarmos em nossas vidas, tudo o que será acumulado no céu. Ajuntar tesouros no céu é se consagrar completamente a Deus, e ajudar o necessitado.

     Hoje, como sempre, há muitas alternativas para nos contaminar e gastar nossas forças, nossas energias e nossos recursos aqui na terra. Acumular riquezas aqui na terra é um incentivo que todos recebem.

ILUSTRAÇÃO:

     Sobre o lastro dos navios, como vimos, anteriormente, um grande perigo e exemplo sobre espécies aquáticas é o mexilhão dourado, espécie originária da Ásia. Trazido pela água do lastro, quando não havia fiscalização, infestou o continente Sul-Americano e se reproduziu livremente por não ter predadores naturais.

     Por causa deles, as hidrelétricas de Itaipú e Cemig, têm que interromper periodicamente suas operações para fazer a limpeza das turbinas infestadas pelo mexilhão.

     Há muitos mexilhões que são trazidos para nossa vida cristã, na tentativa de impedir uma vida abundante. Quando não perseveramos em Construir um Lastro Espiritual abundante, acabamos sendo contaminados pelos mexilhões do secularismo, do materialismo e do humanismo. Permitimos que nossa vida seja colocada no lugar de Cristo e não Cristo em nós. É necessário parar e remover o que está impedindo as nossas turbinas de funcionarem devidamente. As turbinas do amor, da misericórdia, do serviço ao próximo, do resgate de almas, da renúncia, da consagração, da santificação, da contribuição econômica e financeira, necessitam serem permanente vigiadas, descontaminadas de qualquer tipo de contaminação, para que o nosso Lastro Espiritual tenha o equilíbrio necessário para navegarmos nas águas da vida cristã até nosso porto final.

CONCLUSÃO:

     Recebi a visita de uma querida irmã que há muitos dias, não tinha notícias. Entrou, sentou e afirmou: “Que bom estar aqui!”. Logo chegou a água, o café, o abraço e a declaração dela continuou: “essa igreja é diferente...”, estava acompanhada de duas pessoas. Deu seu testemunho. Coisas simples, mas com Lastro Espiritual. Começa com as coisas simples, singelas, que as vezes são esquecidas. É assim que realizaremos, com firmeza, com perseverança e abundância os grandes projetos para nossa igreja e para nossa vida pessoal e familiar. Tudo começa na casa do Senhor. Nada é vão no Senhor. Amém.

    

Pr. João Roberto Raymundo