• Igreja1
  • Igreja2

Atividades Regulares

 Domingo

8h – Reunião de Oração

9h – E. B. D (Escola Bíblica Dominical)

10h30 – Culto Matinal

19h – Culto Noturno

 Terça-feira

19h30 – Culto de Oração

 Quinta-feira

19h30 – Estudos Bíblicos

 Sábados ímpares

19h30 – Culto da Juventude

 Sábados pares

20h – Encontro dos casais

Login

Quem está Online

Temos 4 visitantes e Nenhum membro online

A Pedagogia das Tribulações

A Pedagogia das Tribulações

          A visão humana sobre sua existência, sempre foi a de incompreensão quanto à realidade das adversidades, da dor, do sofrimento e dos gemidos.

          A ausência de tribulações é o ideal, sonhado por homens e mulheres. Entretanto o Salmista afirma: “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.”.

(Sl. 119.71). Ele compreendeu esse quadro de sua vida como o cuidado de Deus, como edificação de sua vida espiritual. O pastor Manuel Xavier dos Santos afirmou: “Não vivemos para nós mesmos. Até mesmo a cura não deve ser para nosso benefício, mas para a glória de Deus, de modo que o nome dEle seja honrado.”. Essas palavras foram escritas quando ele enfrentava uma enfermidade sem cura. É, ainda, o pastor John Piper quem afirma: “A cura não é o plano de Deus para todos e nem por isso ele deixará de ser glorificado, pois sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.”.

          É, ainda, o escritor e pastor Israel de Azevedo quem afirma: “Não podemos desperdiçar a dor, a nossa e a do outro. Não desperdiçamos a dor quando estamos seguros que Deus consola em todas as tribulações (II Cor. 1. 3-6), não importa sua origem ou a responsabilidade por ela. Até mesmo diante das tribulações que nós provocamos com os nossos pecados, Deus traz consolo.”

          A Pedagogia das Tribulações nos conduz em direção do amadurecimento, do desenvolvimento dos nossos sentimentos em relação a nós mesmos, do nosso próximo, do homem sem Deus e sem esperança. Ela é Pedagógica porque nos educa quando refletimos, e nos afasta das respostas fáceis. As respostas fáceis nos consolam no curto prazo, mas sua força logo cessa.

          As respostas fáceis não fazem justiça a Deus. Jesus disse que não evitaria todos os nossos sofrimentos, mas prometeu que nos consolaria (João 16.33). “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”. A Pedagogia das Tribulações nos conduzem a essa certeza: Deus sempre está conosco. O seu consolo, que podemos compartilhar com nosso próximo, nos leva para além do lamento. Amém.

 

No Amor e na Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo

Pr. João Roberto Raymundo